COMISSÃO APROVA PROJETO QUE VINCULA AUXÍLIO-GÁS à COMPRA DE BOTIJÃO EM REVENDA AUTORIZADA 

COMISSÃO APROVA PROJETO QUE VINCULA AUXÍLIO-GÁS à COMPRA DE BOTIJÃO EM REVENDA AUTORIZADA 

COMISSÃO APROVA PROJETO QUE VINCULA AUXÍLIO-GÁS à COMPRA DE BOTIJÃO EM REVENDA AUTORIZADA

 

 

Na Câmara dos Deputados, a proposta ainda precisa passar pela análise de duas comissões temáticas

 

 

Flavia Morais recomendou a aprovação de substitutivo

A Comissão de Previdência, Assistência Social, Infância, Adolescência e Família da Câmara dos Deputados aprovou projeto de lei para definir que o auxílio-gás deverá ser gasto exclusivamente na compra do gás de cozinha (GLP) sempre que a localidade disponha de revendedor autorizado a comercializar o produto. A regra deverá ser regulamentada.

 

O texto aprovado ainda estende o auxílio-gás por dez anos a contar da vigência futura lei. A previsão atual é que o benefício deixe de ser pago em 2026.

 

O que é o auxílio-gás

O auxílio-gás é um programa de auxílio à compra do gás de cozinha destinado a famílias de baixa renda.

 

Hoje, os lares beneficiados recebem, a cada dois meses, uma quantia correspondente à metade do preço médio nacional do botijão de 13 kg. Em 2023, isso foi equivalente a R$ 52, em média.

 

Texto aprovado

Foi aprovado o substitutivo da relatora, deputada Flávia Morais (PDT-GO), para o Projeto de Lei 2354/23, do deputado Daniel Almeida (PCdoB-BA). O texto altera Lei 14.237/21, que instituiu o auxílio-gás, e a Lei do Bolsa Família.

 

Para a deputada Flávia Morais, vincular o auxílio à compra do GLP é medida importante, uma vez que os chamados combustíveis tradicionais, como lenha, para cozinhar os alimentos, gera efeitos negativos para a saúde, em razão da poluição do ar em ambientes domésticos, e aumenta o risco de acidentes, como queimaduras.

Sem revenda autorizada

A exclusividade no uso do auxílio para comprar o gás de cozinha limita-se às localidades que tenham revendedores autorizados do produto. “Apesar de existirem mais de 58 mil revendas em operação e autorizadas a comercializar gás de cozinha no Brasil, sabemos que, em alguns rincões, os beneficiários não têm fácil acesso a essa fonte energética”, lamenta Flávia Morais.

 

 

 

Próximos passos

O projeto tramita em caráter conclusivo e ainda será analisado pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

 

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

 

Fonte: Agência Câmara de Notícia

Jornal nossa folha

Noticias de Brasília e entorno sempre atualizadas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *