Conheça 10 feitos importantes que marcaram a Copa do Catar

 Messi e Mbappé deixaram suas marcas, mas um dos momentos mais significantes foi protagonizado pela árbitra francesa Stephanie Frappart


Numa Copa do Mundo atípica – a começar pelo mês em que foi realizada – o torneio do Catar acabou deixando números significativos, dentro e fora de campo. Anotamos 10 feitos importantes alcançados pelos participantes:

1)- Num país que as mulheres são vítimas dos maiores preconceitos, a árbitra Stephanie Frappart tornou-se a primeira mulher a apitar um jogo de Copa do Mundo masculina (México x Polônia);

2)- A Seleção Brasileira – na falta de melhores dados históricos – estabeleceu um recorde de 17 jogos sem perder em fase de grupos da Copa até cair diante de Camarões, quando Tite escalou todos os reservas e perdemos por 1 x 0;

3)- O astro argentino Lionel Messi passou a ser o jogador com mais partidas em Copas. Depois da final com a França, chegou a 26 jogos, superando o alemão Lothar Matthäus (25);

4)- O português Cristiano Ronaldo, apesar de sua participação discreta, se transformou no único atleta que fez gol em cinco Copas do Mundo diferentes, entre 2006 e 2022. E já disse que quer ir em 2026, quando estará com 41 anos;

5)- Mbappé se tornou o segundo jogador na história a marcar um hat-trick em final de Copa, igualando o feito de Hurst em 1966. Além disso, o francês Mbappé se tornou o jogador com mais gols em finais de Copa, sendo três em 2022 e um em 2018;

6)- Na grande final contra a Argentina, o chute de Mbappé que resultou no segundo gol da França, atingiu a velocidade de 123,34 km/h, sendo assim a finalização mais potente do torneio;

7)- Com tantas goleadas e com o incrível 3 x 3 no jogo final entre argentinos e franceses, a Copa do Catar foi a que teve mais gols na história (172), superando os Mundiais de 1998 e 2014 (171 gols);

8)- Um recorde negativo, mas que merece registro: o Japão teve 17,7% de posse de bola no jogo em que venceu a Espanha, sendo esse o menor índice de posse de bola de uma equipe na história da Copa do Mundo;

9) – A Alemanha, que já disputou oito finais de mundiais (sem contar os dois da extinta Alemanha Oriental), não venceu seus dois primeiros jogos em uma edição de Copa, algo que não acontecia desde 1938;

10)- Rigobert Song, de Camarões, é agora um dos recordistas em participação em Copas como técnico e jogador (cinco edições, 1994-2002 e 2010, como jogador, e 2022, como técnico), igualando-se a Zagallo (1958-1962, como jogador, e 1970-1974 e 1998, como treinador).

aulas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *