CONHEÇA OS SINTOMAS DE INFARTO EM PESSOAS JOVENS 

CONHEÇA OS SINTOMAS DE INFARTO EM PESSOAS JOVENS 

CONHEÇA OS SINTOMAS DE INFARTO EM PESSOAS JOVENS

 

Quando pensamos em infartos, geralmente os associamos a pessoas mais velhas, mas as estatísticas sobre infarto em pessoas com menos de 40 anos têm subido em diferentes lugares do mundo nos últimos anos. Continue com a gente para descobrir quais são as possíveis causas, sintomas e como se prevenir!

 

Cada vez mais adultos jovens têm sofrido infartos. O que isso significa?

Um estudo apresentado para o Colégio Americano de Cardiologia mostrou que o número de casos de infarto em pessoas com menos de 40 anos aumenta cerca de 2% a cada ano nos Estados Unidos. No Brasil, o cenário é bastante parecido: entre 2013 e 2020, o Ministério da Saúde registrou um crescimento de aproximadamente 1,8%.

 

O que isso nos diz sobre a saúde dos brasileiros? Segundo especialistas, isso reflete um aumento de hábitos não saudáveis, o que tem colocado em risco as vidas de pessoas nessa faixa etária.

 

Hábitos como má alimentação, sedentarismo e tabagismo podem ter um papel importante no aumento do risco de infarto em pessoas jovens, mas pessoas com predisposição genética para problemas cardíacos também precisam se atentar.

 

Um exemplo disso foi o infarto sofrido em 2021 pelo jogador noueguês de futebol Christian Eriksen. Após sofrer uma parada cardíaca durante uma partida do campeonato europeu, o atleta teve de ser ressuscitado em campo. O caso dele mostra que mesmo quem mantém hábitos saudáveis de exercício físico regular e boa alimentação precisa estar atento ao seu histórico familiar e fazer exames e consultas regulares.

 

Quais são os sintomas de infarto em pessoas jovens?

Em pessoas jovens, uma dor típica de infarto costuma surgir como uma pressão ou queimação na região torácica, que pode estar no centro ou irradiar para o lado direito – onde fica o coração – e para os braços. A dor pode também se espalhar até a mandíbula, na região do queixo, ou para as costas. Pacientes também costumam apresentar ânsia de vômito e suor em excesso.

 

COMO PREVENIR?

A prevenção de infartos, assim como grande parte dos problemas cardiovasculares, exige manter hábitos saudáveis. Comer bem, praticar exercício físico regularmente e evitar vícios como o tabagismo pode fazer toda a diferença. Além disso, é recomendável manter consultas de rotina anuais com um cardiologista a partir dos 30 anos.

 

Em pessoas com histórico familiar de infarto e morte súbita – quando o paciente vai a óbito cerca de uma hora após o início dos sintomas -, é possível que haja uma chance maior de problemas cardíacos, já que muitas das doenças relacionadas são hereditárias. Nesses casos, consultar um médico de forma preventiva é ainda mais importante, pois permite investigar a existência ou não de fatores agravantes pré-existentes a qualquer ocorrência de mal do coração. Quem já sofreu infarto também precisa redobrar os cuidados, pois o risco nesses casos é maior e irreversível.

 

É importante lembrar que a prevenção não pode esperar pelos sintomas. Mesmo que você não saiba de um histórico familiar de doenças cardiovasculares e tenha menos de 30 anos, vale a pena manter hábitos saudáveis e consultas de rotina em dia, a fim de evitar possíveis ocorrências no futuro.

Jornal nossa folha

Noticias de Brasília e entorno sempre atualizadas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *