JUIZ-FORANO DE 9 ANOS DISPUTA CAMPEONATO NOS EUA COM O CRUZEIRO

JUIZ-FORANO DE 9 ANOS DISPUTA CAMPEONATO NOS EUA COM O CRUZEIRO

JUIZ-FORANO DE 9 ANOS DISPUTA CAMPEONATO NOS EUA COM O CRUZEIRO

Juninho foi aprovado na Raposa em janeiro e sonha em disputar torneio no exterior; viagem custa cerca de R$ 30 mil

O sonho de ser jogador de futebol é comum em muitas crianças brasileiras. Esse é o caso de Carlos Eduardo Matos de Oliveira Júnior, o Juninho, de apenas 9 anos. O jovem já passou por avaliações no Atlético-MG e, mais recentemente, foi integrado às categorias de base do Cruzeiro, em janeiro deste ano. Agora, o pequeno juiz-forano, que atua pelas beiradas do gramado, vive a expectativa de participar de uma competição na Flórida, nos Estados Unidos, com a camisa da Raposa.

Juninho deu os seus primeiros chutes na bola aos 4 anos, como relata sua mãe, Vanessa de Oliveira. Apesar de sempre ouvir elogios sobre o talento de seu filho, não foi ela que o levou a uma escolinha de futebol pela primeira vez. “Todo mundo falava que ele que tinha talento desde pequenininho, mas eu nunca o levei a uma escolinha. Quem o levou pela primeira vez foi a minha prima, no mesmo lugar em que o priminho dele estava treinando, numa quadra no Bairro Industrial. Então, ele começou ali, e ficou ali por cerca de cinco meses”, conta.

Depois de deixar a escolinha no Bairro Industrial, Juninho só voltou a frequentar treinos de futebol no fim de 2023, quando sua mãe o inscreveu no Sport. “Em dezembro do ano passado, eu o levei para o Sport. Ele entrou na categoria iniciante, mas ficou uma semana só, porque rapidamente viram o talento dele e o passaram para a categoria avançada”, explica Vanessa.

Apesar de estar no Sport desde dezembro, Juninho disputou apenas uma partida pelo clube. Isso se deve porque os jogos do Verdão da Avenida sempre coincidiam com as peneiras realizadas pelo jovem em Belo Horizonte. “Os jogos do Sport sempre aconteciam quando o Juninho estava no Cruzeiro. Ele só conseguiu entrar em campo pelo Sport no sábado (25)”, explica a mãe.

Cruzeiro Experience
A primeira avaliação que Juninho realizou em Belo Horizonte foi pelo Atlético-MG. O jovem passou por duas etapas, mas foi reprovado na terceira por ser muito novo. Depois de não seguir no Galo, Vanessa levou o filho ao Cruzeiro sem muitas esperanças de que ele fosse aprovado, mas vencida pela insistência de um primo. “Eu levei, mas pensei que ele não iria passar, porque ele é muito miudinho e esse foi o motivo da reprovação no Atlético. O levei por levar, mas ele acabou passando”, afirma.

Juninho foi aprovado no Cruzeiro Experience, programa da Raposa que seleciona jovens com idades entre 8 e 18 anos para disputarem jogos amistosos e competições no exterior representando a equipe. Nesse projeto, o juiz-forano vai à Toca da Raposa 1, centro de treinamentos das categorias de base do clube uma vez ao mês. Enquanto o atleta está em Belo Horizonte, ele fica na cidade com sua mãe na casa dos avós maternos. “Para custear as viagens para BH, tem vez que eu faço rifa, às vezes eu consigo um patrocinador, e em algumas viagens eu venho por conta própria mesmo. Mas a maioria das vezes eu consigo ajuda”, explica Vanessa.

Desde que foi aprovado no Cruzeiro, Juninho vive a sua rotina entre Juiz de Fora e Belo Horizonte. Enquanto não está na capital mineira, o jovem treina semanalmente no Sport, toda terça e quinta-feira. Já em BH, o juiz-forano participa da todas as atividades com constante observação de seus treinadores. “Todo mês ele participa desse grupo no Cruzeiro e ele é monitorado pelos professores. Na segunda (27), ele treinou na Toca, de manhã e à tarde. A expectativa é de que em novembro ele passe a treinar cinco dias por mês”, detalha a mãe.

Viagem para Flórida
O jovem atleta sonha em disputar um torneio na Flórida, nos Estados Unidos, em dezembro. Porém, os custos da viagem não são arcados pelo clube. Segundo Vanessa, são necessários cerca de R$ 30 mil para custear tanto a sua passagem e estadia quanto a de Juninho, que não pode viajar sozinho por conta da pouca idade.

“Estou correndo atrás do patrocínio, para pelo menos cobrir parte do gasto, porque é muito alto. Vou tentar ver o que vou conseguir. Tem essa vaquinha que comecei, mas tinha parado porque não tinha certeza se ele seria aprovado. Como veio a certeza, vou voltar a divulgar”, afirma Vanessa. Para contribuir, basta acessar este link.

Os livros e a bola

A paixão de Juninho pelo futebol vem desde cedo, conforme relata sua mãe. “Tudo dele é bola, desde quando ele era pequenininho. Ele brincava e falava: ‘mamãe, vou ser jogador’. Eu respondia: ‘quem dera’, e ainda brincava: ‘depende de você’. Mas todo mundo que o via jogando bola, sempre comentava”, relata Vanessa.

Apesar da vontade expressada desde pequeno por Juninho, Vanessa afirma que a prioridade principal são os estudos. “A gente não sabe como vai ser o dia de amanhã. Sempre falo com ele: ‘se você não tirar a nota boa, eu vou tirar você do futebol, porque a prioridade são os estudos’. Graças a Deus, ele vai bem na escola e continua jogando bola”, diz.

CRÉDITO ; TRIBUNA DE MINAS

Jornal nossa folha

Noticias de Brasília e entorno sempre atualizadas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *