NASA ESTUDA BENNU, O ASTEROIDE QUE PODE ATINGIR A TERRA

Agência espacial considera esse um dos mais perigosos objetos espaciais já identificados Em 2016, a Nasa lançou uma missão para  investigar .

Agência espacial considera esse um dos mais perigosos objetos espaciais já identificados

Em 2016, a Nasa lançou uma missão para investigar um meteoro conhecido como 101955 Bennu. Quatro anos depois a Osiris-Rex alcançou o corpo celeste, coletou material rochoso do local e deve chegar novamente à Terra no próximo domingo (24).

Asteroide foi estudado por sonda da Nasa

NASA.

Cientistas afirmam que esse asteroide passa pelo nosso planeta a cada seis anos, e se aproxima cada vez mais a cada volta. As estimativas são que, caso se choque com nosso planeta, o impacto terá a força 1.200 megatons, o equivalente a 24 das bombas atômicas mais poderosas já criadas — a Tsar Bomba, nunca testada em todo poder.

As previsões são que em 2135 ele passará bem próximo a nós e pode entrar no chamado “buraco de fechadura gravitacional”, o que o coloca em rota de colisão com a Terra — o que pode acontecer em 2182, daqui a 159 anos.

Os pesquisadores dizem que a chance é de apenas 0,037%, o que não é totalmente dispensável na escala de riscos cósmicos.

“Embora o risco de atingir a Terra seja muito baixo, Bennu continua sendo um dos dois asteroides conhecidos mais perigosos em nosso sistema solar, junto com outro chamado 1950 DA”, afirmou a agência espacial.

Bennu provavelmente se separou de um meteoro ainda maior há cerca de 2 bilhões de anos, mas os astrônomos afirmam que o asteroide data do ínicio do Sistema Solar, há mais de 4,5 bilhões de anos.

A Nasa estima que ele se formou no Cinturão Principal de Asteróides entre Marte e Júpiter e que pode conter moléculas orgânicas semelhantes às que poderiam ter estado envolvidas no início da vida na Terra.

CRÉDITO: ÚLTIMAS NOTÍCIAS 

JNF BRASIL : JORNAL NOSSA FOLHA BRASIL

Jornal nossa folha DF

Noticias de Brasília e entorno sempre atualizadas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *