‘PASSAMOS DO LIMITE COM A BRINCADEIRA’, diz SUSPEITO DE ESTUPRAR ADOLESCENTE NA BAIXADA

‘PASSAMOS DO  LIMITE COM A BRINCADEIRA’, diz SUSPEITO DE ESTUPRAR ADOLESCENTE NA BAIXADA 

De acordo com a vítima, os abusadores divulgaram o vídeo do crime onde ela aparece desacordada durante o ato

O caso foi encaminhado para a Delegacia Especial de Atendimento à Mulher de Nova Iguaçu (DEAM).

Após uma denúncia de que uma adolescente de 15 anos foi estuprada por dois homens em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, um deles se manifestou nas redes sociais e negou o estupro, alegando que o caso foi uma ‘brincadeira’ que passou dos limites. De acordo com a vítima, os abusadores divulgaram o vídeo do crime em que ela aparece desacordada durante o ato.

O suspeito, no entanto, alega que a adolescente estava consciente e concordou com a relação sexual. “Vim me defender a respeito dessa acusação de estupro, eu conheço essa menina há bastante tempo, ela me seguiu no Instagram e tudo mais.

 Sim, eu sei que a passamos do limite em relação a brincadeira, mas esse vídeo que está circulando mostra só eu fazendo essa brincadeira com ela, mas não foi só eu. Depois de um tempo eu fui pro quarto ver como ela estava. Chegando lá, a gente se beijou e teve a relação”, tentou justificar.

Com informações imprecisas e o vídeo editado com alguns cortes, o homem alegou que, após a suposta relação, a vítima permaneceu consciente.

“Em um dos vídeos que mostra eu no ato com ela, (o vídeo) logo em seguida corta, mas em um outro mostra ela me agarrando, me puxando, e a dona da casa entrando. Quando a dona da casa entra, eu saio constrangido e logo em seguida ela vem atrás e vai para o banheiro. Depois que eu saí do quarto, ela andou normalmente para o banheiro e eu fui embora. Os amigos dela gravaram ela bem, andando, brincando”, disse.

Em meio aos relatos de que a vítima estava consciente, ele diz que a jovem perguntou para os amigos se tinha “ficado” com alguém e reagiu bem ao saber que foi com ele. Além disso, o rapaz acusa a adolescente de pedir dinheiro para ele.

“Depois ela perguntou para os amigos se ela tinha ficado com alguém e falaram que ela tinha ficado comigo e ela ficou super de boa com a situação. Depois os amigos divulgaram o vídeo dela e foi aí que ela veio dizendo que foi um estupro, sendo que não foi. Ela também veio me pedir dinheiro, me chamou de estuprador, dizendo que estuprei ela e me ameaçando. Eu tenho conversas que mostram ela me pedindo R$ 800”, contou.

Procurada, a Polícia Civil não respondeu se o suspeito já foi ouvido na delegacia, mas informou que a investigação está em andamento na Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Nova Iguaçu e que a vítima irá prestar um novo depoimento.

CRÉDITO : NOTICIAS LOCAIS 

JNFBRASIL : JORNAL NOSSA FOLHA – DF ENTORNO E GOIÁS

Jornal nossa folha DF

Noticias de Brasília e entorno sempre atualizadas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *