EM ALTA 

EM ALTA 

 

SAIBA QUAL VITAMINA QUE AJUDA A REDUZIR RISCO DE CÂNCER DE INTESTINO

 

O que pode ajudar a prevenir câncer de intestino?Créditos: iStock

O que pode ajudar a prevenir câncer de intestino?

Uma descoberta no campo da nutrição e saúde aponta que a inclusão de folato (vitamina B9) na alimentação pode ser uma estratégia eficaz na prevenção do câncer de intestino.

 

O micronutriente, encontrado em abundância em folhas verdes, evoca um novo olhar sobre o papel da dieta na luta contra o câncer.

 

Publicado na revista científica The American Journal of Clinical Nutrition, um estudo inovador realizado por especialistas da Escola de Saúde Pública do Imperial College London revela como o consumo adequado de folato está diretamente ligado à redução do risco de desenvolver câncer colorretal.

 

Dados de mais de 70 mil pessoas fundamentaram esta análise, destacando o papel crucial da vitamina B9 na saúde intestinal.

 

Como o folato atua na prevenção do câncer de intestino?

O folato, ou vitamina B9, transcende seu papel básico na nutrição ao demonstrar um potencial significativo na prevenção do câncer de intestino.

 

Os participantes do estudo que incorporaram maiores quantidades desta vitamina em sua dieta apresentaram uma redução de 7% no risco de câncer, por cada 260 microgramas adicionais consumidos diariamente, ilustrando a força deste nutriente como um aliado contra a doença.

 

Em quais alimentos encontrar folato?

Vegetais de folha verde, como espinafre, repolho e brócolis;

Sementes de girassol;

Grãos integrais;

Leguminosas.

Além das fontes dietéticas, o ácido fólico, uma forma suplementar de folato, também está disponível, aumentando as estratégias de prevenção acessíveis à população.

 

O folato se refere a uma forma natural da vitamina B9, enquanto o ácido fólico ao suplementoCréditos: iStock/pepifoto

O folato se refere a uma forma natural da vitamina B9, enquanto o ácido fólico ao suplemento

Um passo além na saúde intestinal

O estudo pioneiro não apenas sublinha a importância do consumo regular de folato na dieta mas também sugere um papel intrigante dos genes e variantes genéticas na modulação do risco de câncer colorretal.

 

A análise identificou uma região específica do genoma que pode influenciar a associação entre o folato e o câncer, instigando a continuidade da pesquisa para compreensão mais profunda.

 

 

Conhecimentos como os apresentados neste estudo podem revolucionar nossa abordagem em relação à alimentação e prevenção de doenças.

 

Incluir folato na dieta mostra-se promissor na redução de riscos de câncer de intestino, destacando a ligação inseparável entre nutrição adequada e saúde prolongada.

 

 

JNFBRASIL-JORNAL NOSSA FOLHA-DF, ENTORNO E GOIÁS.

Jornal nossa folha

Noticias de Brasília e entorno sempre atualizadas para você

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *